Links patrocinados funcionam, viu?


Li uma matéria e antes que você leia minha crítica, aconselho você a ler a matéria que faço referência: Aqui.

André, suas afirmações são péssimas!
São elas: "Não seja enganado" e "Links patrocinados são como cocaína".

O primeiro grande erro é afirmar que o consultor não vai economizar o clique. Isso é válido para agência fraca ou novata. Um profissional experiente sabe que ao economizar no clique o anunciante terá mais visitas qualificadas e logo será maior a probabilidade de cumprir um objetivo de campanha.

Então você e os anunciantes devem focar no ROI (retorno sobre investimento) e não apenas no investimento.

Sobre cobrar proporcional ao investimento, existem vários modelos de cobrança. Cada campanha possui uma particularidade. Obter uma porcentagem sobre o investimento é muito plausível principalmente quando falamos de campanhas para ecommerce, pois quanto maior o investimento, mais produtos teremos que gerenciar, mais desafios serão implantados e mais campanhas sazonais teremos... portanto o trabalho, nesse caso, é proporcional ao investimento.

Links patrocinados funcionam e são aliados a campanhas SEO. Uma boa agência sabe traçar uma estratégia onde as duas áreas caminham lado a lado.

Você fala em clique de R$10,00. Eles existem, são exceções e não regra como pareceu na matéria. Mesmo que fosse regra! Volto ao ROI, você sabe calcular ROI? Se eu pago R$10,00 e recebo R$1.000,00 é ruim?

SEO é grátis? Não! O clique é grátis, o trabalho é duro e exige um investimento constante. Existem clientes que pagam R$0,15 por clique. Aqui mora a diferença entre contratar um profissional e um amador.

O amador vai torrar sua verba na primeira semana, o profissional vai ajudá-lo a escolher as melhores palavras-chave, vai otimizar sua campanha, vai aumentar seu ROI e dar dicas valiosas sobre palavras-chave que convertem para uma estratégia SEO qualificada.

Espero que tenha contribuído.
4 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como anunciar no Yahoo e Bing?

Curso de SEO

Marketing de Relacionamento: a importância e o que é?